Stellium ou Conjunção múltipla

05-09-2011 21:57

Stellium ou Conjunção múltipla

 

 
O Stellium ou Conjunção múltipla reúne três ou mais planetas em um mesmo signo, numa conjunção em sucessão próxima com orbe de até 10º. Considerando que mercúrio, vênus e sol estão quase sempre próximos, é necessário que haja mais um planeta para que se possa considerar um stellium verdadeiro. Quando há um Stellium no mapa natal, no mesmo signo e na mesma casa, potencializa o signo e casa que ocupam e os planetas se manifestam através dos traços marcantes da personalidade e do comportamento. Eles podem proporcionar dons, talentos, habilidades e influenciar na vocação, quando são bem desenvolvidos. Porém, quando não há boa percepção de suas energias, podem gerar inadequações e vícios.

Um Stellium exalta as qualidades do signo, sejam elas
positivas ou negativas. Por estarem em conjunção, qualquer aspecto que ative um dos planetas, ativa todos os outros ampliando uma força de ação na casa que ocupam e nas casas que regem. Quando o Stellium envolve duas casas e dois signos, é necessário identificar qual casa ou signo é o mais importante. Em qualquer caso, o signo e casa que recebe um dos planetas continua a ser um fator importante do mapa natal. Os planetas de um Stellium criam uma conexão entre eles, isto porque normalmente os planetas que estão no início e no final do stellium muitas vezes não estão diretamente ligados entre si, quando estão numa orbe acima de 10 graus, portanto não há conjunção. Ou seja, o primeiro se liga ao segundo, que por sua vez se liga ao terceiro e assim por diante.

No stellium há uma transmissão e mistura de influências e características de cada planeta e isso se torna importante na interpretação da personalidade, bem como nas sinastrias e nas previsões. O mais importante é identificar qual é o principal planeta do Stellium. Pode se tornar uma questão complicada quando existem mais de 5 planetas no stellium, pois cada planeta tem os seus princípios e está sujeito a regras especiais.

O primeiro critério utilizado para avaliar a acentuação de um planeta é o lugar que ele ocupa, pois sempre o primeiro planeta do stellium é ativado antes dos outros durante os transitos. Assim, o primeiro planeta, quando recebe os aspectos de um transito, ele inicia o processo, enquanto o último planeta do stellium será o último a ser ativado. No caso de receber aspectos dos planetas exteriores, como Urano, Netuno e Plutão, o último planeta do stellium descreverá o potencial e a forma dos significados do transito, quando este acabar.

Na interpretação do mapa natal, é muito semelhante: o primeiro planeta descreve os sentimentos imediatos, enquanto o último planeta descreve as reações aos estímulos finais da vida. Além disso, a tradição astrológica se refere a pontos médios entre os planetas que ocupam as extremidades do stellium. Muitas vezes, esse ponto médio coincide com um dos planetas que está no meio do Stellium sendo particularmente acentuado seu desempenho no perfil psicológico e das previsões.

Os planetas no centro do stellium são sempre mais importantes durante o transito, uma vez que o transito dos planetas exteriores em seu movimento retrógrado atua por mais tempo sobre os planetas centrais do Stellium do que aqueles posicionados nas extremidades.
Outro critério é considerar o signo e a casa ocupados pelos planetas e suas regências originais, embora a astrologia moderna considere cada vez menos as antigas regências e as regras de exaltação detrimento e queda.

Quando o planeta ocupa o seu próprio signo, deve ser creditado a ele maior influência, como por exemplo a Lua em Câncer, Marte em Áries etc. Da mesma forma, embora em menor medida, a analogia usual entre as casas e os signos deve ser considerada. Por exemplo, uma Lua na casa 4 é mais poderosa do que uma Lua na casa 9, porque a Lua rege a casa 4 e o signo de Câncer. Essa questão da regência, exaltação detrimento e queda é mais complicada à medida que muitos astrólogos são cada vez mais céticos sobre isso. Por exemplo, Marte em Libra não tem provado como ineficaz ou incapaz de encanto como se poderia crer. O mesmo é válido para outros planetas e suas possíveis qualidades. No entanto, é preciso considerar que são fatores de influências possíveis.


Quando um planeta está próximo a um dos ângulos, em particular o Ascendente e Meio do Céu, sua importância é maior em comparação com os outros planetas do stellium. A tradição astrológica menciona uma regra muito antiga e confiável que indica que o planeta mais lento de um stellium é o mais importante. Ele influencia profundamente o stellium inteiro e imprime sua marca. Assim a interpretação de um stellium e a avaliação da força dos planetas implicam uma parte da subjetividade. Além de todos esses critérios mencionados, é preferível tentar fazer a síntese de todo o mapa natal ao invés de se concentrar demais em sua análise detalhada. A identificação do planeta mais importante de um stellium não é crucial, desde que o sentido global esteja de acordo com todas as regras astrológicas.

Quando os planetas formam um Stellium em um trânsito, se agrupando temporariamente, eles somam suas funções, mesmo que ocupem signos diferentes. E por ser a conjunção o final e início de ciclo, indica mudanças, transformação e final para reformulação de um novo ciclo entre eles. Esses transitos proporcionam renovação, sendo uma fase de inquietação que beneficia novos inícios. Fecha-se o passado para dar lugar a um amplo futuro. Por exemplo, em abril de 2011, 6 planetas estarão agrupados em Áries: Lua, Urano, Vênus, Mercúrio, Marte e Júpiter em oposição a Saturno em Libra e quadratura a Plutão em Capricórnio.

Quando ocorre uma Oposição múltipla, ou seja, dois ou mais planetas conjuntos se ocolocam em oposição a um ou mais planetas, dentro de uma orbe de até 10º, os planetas unidos por essa oposição múltipla agem em conjunto. Devido à força de expressão da oposição, pode gerar projeção com tendência a responsabilizar os outros. As pessoas tendem a se ver através das outras pessoas e enfatizar o impacto dos outros nos relacionamentos. A oposição múltipla é definida pela projeção nos outros, revelações, mudanças e apogeu dos acontecimentos. É um aspecto incomum e crucial. Há uma qualidade de recomeço, de avanço que atinge o ponto crítico, onde passado e futuro se constrastam desordenadamente. Exemplos desses aspectos são muitos que deram origem a diversas mudanças fundamentais no mundo ou na vida das pessoas para sempre.
Poderá também gostar de:
Noticias,Fotos e Imagens